Vera Fracaroli, artista plástica e escritora, sensível, observam os detalhes da vida, revelando-os em telas e textos, que refletem olhos de percepção. Pura - a alma da artista volta-se para os sentimentos de amor, romantismo, sofrimentos existenciais e humanismo. Sua obra, vibrante, cores fortes e texturas marcantes, têm como foco principal a natureza. Vera Fracaroli tem alma em flor, é simultaneamente de todas as cores, um arco-íris andante, um ser passante e pensante, que vibra a cada instante quando um dia se reinicia. É ao mesmo tempo contemporânea e barroca, linear, na explicitação poética, transita entre Polyana Moça, Pequeno Príncipe e dramas imortais da década de 50, onde grandes atores e atrizes encenavam o êxtase do amor proibido ou sofrido, apaixonado e resignado, destemido e tantas vezes renunciado. Navega entre E O Vento Levou a Girassóis da Rússia, passando por Dr. Givago e o Último Tango em Paris. Grandes amores associados a grandes dores e romances implacáveis. E de repente, essa moça eternizada, nos surpreende escrevendo. Troca noite pelo dia e escolheu a palavra como companhia. Poucos compreenderam tamanha alegria: passar para o papel, aquilo que estava no céu do seu interior. Com todo rigor e vigor, tudo teve menos importância naquela hora, posto que o período de gestação desse lugar ao nascimento - escritores são assim mesmo: parem desmedidamente, obedecendo apenas ao comando da criação. O mais - fica de lado, embalado e guardado, jamais esquecido. E ao lançamento confraternizado, volta à autora ao seio amado, da calma, da entre safra, da família, dos recantos, até a próxima obra concebida... Deve então, ser acalentada e protegida, pois, logo, logo, será surpreendida por nova avalanche de idéias que não cessa. Esta obra é a primeira de uma série, que já vem mínima e cuidadosamente sendo elaborada, porque VERA FRACAROLI, é brasileira e não desiste nunca. Como o tempo, sua criatividade não pára.

Vera Fracaroli

A palavra  é como  o SOL, Renasce a  cada Amanhecer...

 
 
Vera Fracaroli, artista plástica e escritora, sensível, observam os detalhes da vida, revelando-os em telas e textos, que refletem olhos de percepção. Pura - a alma da artista volta-se para os sentimentos de amor, romantismo, sofrimentos existenciais e humanismo. Sua obra, vibrante, cores fortes e texturas marcantes, têm como foco principal a natureza. Vera Fracaroli tem alma em flor, é simultaneamente de todas as cores, um arco-íris andante, um ser passante e pensante, que vibra a cada instante quando um dia se reinicia. É ao mesmo tempo contemporânea e barroca, linear, na explicitação poética, transita entre Polyana Moça, Pequeno Príncipe e dramas imortais da década de 50, onde grandes atores e atrizes encenavam o êxtase do amor proibido ou sofrido, apaixonado e resignado, destemido e tantas vezes renunciado. Navega entre E O Vento Levou a Girassóis da Rússia, passando por Dr. Givago e o Último Tango em Paris. Grandes amores associados a grandes dores e romances implacáveis. E de repente, essa moça eternizada, nos surpreende escrevendo. Troca noite pelo dia e escolheu a palavra como companhia. Poucos compreenderam tamanha alegria: passar para o papel, aquilo que estava no céu do seu interior. Com todo rigor e vigor, tudo teve menos importância naquela hora, posto que o período de gestação desse lugar ao nascimento - escritores são assim mesmo: parem desmedidamente, obedecendo apenas ao comando da criação. O mais - fica de lado, embalado e guardado, jamais esquecido. E ao lançamento confraternizado, volta à autora ao seio amado, da calma, da entre safra, da família, dos recantos, até a próxima obra concebida... Deve então, ser acalentada e protegida, pois, logo, logo, será surpreendida por nova avalanche de idéias que não cessa. Esta obra é a primeira de uma série, que já vem mínima e cuidadosamente sendo elaborada, porque VERA FRACAROLI, é brasileira e não desiste nunca. Como o tempo, sua criatividade não pára.
Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras